Como virar um jogador de futebol

Não é necessário transcrever o trecho de uma das mais famosas músicas da banda mineira Skank para saber que a resposta é positiva. Todo garoto que nasceu e cresceu aqui, no país do futebol, sonhou em ser um jogador de futebol um dia, mesmo que da forma mais hipotética possível.

Em primeiro lugar porque é importante ter ao menos uma noção espacial e coordenação motora para jogar futebol. Aqueles mais desengonçados e que nunca entenderam a importância de não ir o tempo todo em cima da bola, só poderiam sonhar ser jogadores de futebol, literalmente, em seus sonhos mesmo.

Os outros, porém, que demonstravam saber chutar uma bola, dar um passe e tinham o discernimento de saber que ir o tempo todo onde a bola está é uma tolice, já sonharam, sim, ser um jogador de futebol.

O caminho até lá, contudo, não é fácil. Mas se você está aqui lendo este texto é porque não se importa com isso: quer apenas saber como fazer para conseguir. Só podemos dizer que você veio ao lugar certo!

Primeiro degrau a subir: identificar algum talento com a bola no pé

Em qualquer profissão que se queira seguir na vida, é fundamental a pessoa ver em si mesma algum talento que a faça projetar chances reais de seguir por aquela carreira.

Alguém que sonha ser um escritor não pode, de maneira alguma, não saber as regras gramaticais do nosso idioma (ou do que ele quer escrever), pontuação, acentuação, etc.

Com um jogador de futebol é a mesma coisa: ele tem que ter alguma facilidade com algum dos fundamentos do esporte, ou se posicionar bem em alguma parte do campo, para dar o primeiro passo.

Caso contrário, a empreitada rumo à profissionalização dificilmente começará. Afirmamos isso porque há tanta gente querendo ser jogador de futebol no Brasil, que somente quem tem alguma qualidade, mínima que seja, consegue a primeira chance.

Segundo degrau: fazer escolinha de futebol

Fazer aulas de futebol, o esporte mais praticado do país e que muitos já jogam desde que dão os primeiros passos na vida parece tolice. Mas não é.

Muitos clubes e olheiros (profissionais que caçam talentos no esporte) têm nas escolinhas de futebol uma fonte para encontrar jogadores para seus elencos.

Nelas, o aluno terá aulas teóricas e práticas sobre o esporte, aprenderá técnicas para bater na bola (ou defender, para quem quer ser goleiro), a importância de desenvolver inteligência espacial para se posicionar no campo, entre outras.

Também começará a ter noção de que um jogador de futebol é um atleta e, por isso, precisa estar sempre com bom condicionamento físico, pois seu trabalho depende unicamente de seu corpo.

Além disso, ainda passará a compreender sobre disciplina, respeito aos colegas e coletividade, três dos principais aspectos que regem a profissão de esportista.

Terceiro degrau: participar das peneiras

Se na escolinha de futebol o jovem aspirante a jogador aprende conceitos básicos do esporte, nas peneiras ele coloca à prova se aprendeu tudo direitinho e tem potencial para conseguir seu primeiro “emprego”.

As peneiras são processos seletivos do futebol, onde diversos jovens disputam vagas em clubes. Basicamente, eles são organizados em times e precisam mostrar seu valor em campo, tentando convencer o “recrutador”, que no caso é um técnico, que são melhores do que os outros.

Elas são a principal porta de entrada de um jogador de futebol na profissão e ser aprovado em uma delas representa boa parte do caminho andado para a profissionalização – mas não é nada fácil conseguir.

O lateral-direito Cafu, por exemplo, chegou a ser reprovado em mais de cinco peneiras quando era jovem, até ser aprovado no São Paulo Futebol Clube e se tornar o profissional bem sucedido que foi, reconhecido mundialmente.

Esse exemplo nos leva para o próximo degrau da escada, que é o…

O que separa o sonho de ser jogador de futebol e a concretização são apenas cinco degraus e uma atitude: persistência Foto: FreeImages.com

O que separa o sonho de ser jogador de futebol e a concretização são apenas cinco degraus e uma atitude: persistência Foto: FreeImages.com

Quarto degrau: ter muita dedicação e paciência

Alguém que almeja ser jogador de futebol pode ter todos os defeitos, menos dois: preguiça e afobação. Primeiro porque o trabalho dele consistirá, basicamente, em esforço físico, logo, fôlego e disposição são obrigatórios.

E segundo porque até a chance surgir, seja sendo aprovado em uma peneira, seja tendo uma oportunidade de jogar no time em que estiver treinando, pode demorar um tempo considerável.

Além deste aspecto relatado acima, o futebol é um jogo que envolve muita emoção, portanto, sangue-frio para não se exaltar diante de problemas que possam surgir, em campo ou fora dele, será sempre necessário.

Quinto degrau: ter um pouco de sorte

No futebol existem histórias como a de Cafu, que foi reprovado várias vezes em peneiras até ter sua chance, como existem várias outras parecidas, de gente tão talentosa quanto, que não teve a sorte de encontrar alguém que confiasse em seu potencial.

Por mais que passar em um processo seletivo com outros jovens aspirantes possa significar muito, isso não garante nada.

Um dos processos também utilizados no meio futebolístico é o jovem ser apadrinhado por alguém bem relacionado com os clubes (um empresário, agente ou olheiro), e conseguir uma chance mesmo sem ter sido aprovado nas peneiras.

Essas pessoas podem, por sua influência no clube ou com algum dirigente, fazer com que o jovem tenha acesso às oportunidades, independente do que mostrou nos testes pelos quais foi posto à prova.

Sexto degrau: dúvidas? Pergunte!

Não importa o tamanho do sonho ou quando ele pode surgir ou desaparecer da sua cabeça, nunca deixe de seguir a sua intuição: arrisque-se, sim!

Dúvidas irão aparecer em algum momento e quando isso acontecer, pare e pergunte: a si mesmo ou a alguém de sua confiança, se deve seguir sua caminhada ou não.

Se nós, do Suba na Vida, formos alguém com este perfil, use os comentários no fim do texto para isso!

Deixe sua mensagem

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *