Porque devo considerar um emprego em uma Startup

Quando muitos de nós éramos jovens, havia praticamente apenas duas alternativas profissionais a seguir: passar em um concurso público ou entrar em uma empresa e seguir carreira.

Este cenário mudou drasticamente à medida em que a tecnologia foi avançando e hoje não é raro ouvir gente dizendo que seu grande sonho profissional é trabalhar em uma Startup.

Mas, ao mesmo tempo em que existe um contingente decidido a seguir por tal caminho, há quem não faça ideia do que seja uma Startup, quanto mais afirmar que sonha fazer parte dela e, quem sabe, fundar e desenvolver a sua própria.

Se você faz parte deste segundo grupo, as explicações a seguir são para você. Aposto que ao fim delas, estará pronto para considerar mais uma alternativa para subir na vida!

Conceito de Start-Up

O nome não ajuda muito, mas “Startup” significa, na tradução literal do termo, “comece”, simples assim. Elas surgiram desde muito antes de se tornarem um termo popular e até uma filosofia de vida para aqueles mais fascinados por empreendedorismo / tecnologia / os dois juntos.

Se formos parar para analisar friamente, qualquer empresa que um dia existiu, é uma Startup. Ou seja, ela foi fundada a partir de uma ideia de negócio, que visava resolver um problema por meio de um produto ou serviço, e se estabeleceu no mercado por meio da insfraestrutura e tecnologia disponíveis na época.

Contudo, a Startup como conhecemos hoje, é diferente no sentido de que ela nasce, cresce e se agiganta (ou morre) baseada exclusivamente no ambiente digital. Em outras palavras, as empresas categorizadas como Startups vivem e se alimentam apenas por meio da estrutura online.

Por isso que elas não podem ser comparadas a qualquer outra empresa que exista ou existiu, conforme a nomenclatura sugere. Ainda que um serviço de uma Startup possa ser usado no ambiente físico, sua base de negócios está situada no âmbito digital apenas.

Exemplo mais bem sucedido: Whatsapp

Você, com certeza, já ouviu falar ou é um usuário assíduo do aplicativo Whatsapp. Hoje ele pertence ao Facebook (inclusive foi comprado por Mark Zuckerberg por uma quantia bilionária) e é uma empresa muito valiosa, porém, este não era exatamente o seu objetivo.

Claro, qualquer empresa quer lucrar, isso é inegável. No caso das Start-Ups, porém, o que as move é a vontade de prestar um serviço melhor do que o que já existe ou criar algo novo que possa melhorar um processo.

Neste ponto, sim, a tradução literal de “Startup” (relembrando, “comece”), faz sentido. Quem funda uma Startup, ou quer trabalhar em uma, pensa em impactar a sociedade oferecendo algo que dinamize e mude as relações estabelecidas, não importa como, e no menor tempo possível.

A melhor forma de tirar esses planos do papel e colocá-los em prática é começando. E o melhor jeito de começar é usando a tecnologia, que facilita a comunicação e faz com que qualquer ideia ou iniciativa seja disseminada e floresça mais rapidamente.

O Whatsapp foi lançado em 2009 e pouco mais de quatro anos depois, já era um dos aplicativos mais populares do mundo, com 250 milhões de usuários. Isso foi possível por dois motivos: ele tornou-se uma alternativa melhor e mais barata para a troca de mensagens por dispositivos móveis do que o que existia (SMS, principalmente).

E ele teve a seu favor o alcance que apenas a tecnologia proporciona, por conectar indivíduos, com seus dispositivos únicos, a uma rede, que coloca todo mundo no mesmo balaio.

As Startups, além de proporcionarem aos profissionais uma ascensão de carreira mais rápida, possuem ambientes de trabalho mais despojados Foto: FreeImages.com

Até o ambiente de trabalho de uma Startup é diferente: ser despojado é a regra do jogo                 Foto: FreeImages.com

Como é a carreira em uma Startup

Uma Startup, ao mesmo tempo em que pode ser vista como uma nova opção de carreira para seguir, pode ser um pesadelo aos profissionais, dependendo dos valores de cada um.

Para começar, praticamente inexiste hierarquia em uma Startup: as decisões são, na maioria das vezes, tomadas em conjunto, entre profissionais de níveis que vão desde o dono / presidente / fundador ou seus sócios e o estagiário, aquele que possui, na teoria, a voz menos ativa na cadeia produtiva.

Ao mesmo tempo em que isso pode soar como uma coisa positiva, em comparação ao modelo engessado e mais formal de empresas tradicionais, pode transparecer uma estrutura onde ninguém, de fato, tem poder, e atrapalhar o desenvolvimento do negócio.

Sendo assim, não é possível sequer dizer que é possível ter uma carreira dentro de uma Startup. Na verdade, é melhor considerar que nela é possível entrar no menor cargo existente e se tornar “chefe” em pouco tempo.

Para quem não tem muita paciência para evoluir profissionalmente e adota uma postura mais empreendedora (e também, de tabela, aventureira) no mercado, pode se sentir totalmente à vontade em uma Startup.

Por outro lado, pessoas com um perfil mais tradicional, analítico e que buscam estabilidade e evolução no longo prazo, tendem a se sentir um peixe fora d’água.

Cuidados necessários

O principal ponto de atenção que um profissional que cogitar trabalhar em uma Startup deve ter é o risco de o negócio, a qualquer momento, dar errado e toda a equipe ficar desempregada.

Erros de gestão, na administração financeira e na leitura do mercado são alguns dos que podem ser cometidos com mais frequência neste tipo de empresa. A inexperiência e a exagerada vontade de fazer a Startup crescer, típicas do perfil de quem atua nelas, são dois pontos que geram incerteza.

Encontrar um investidor-anjo para injetar dinheiro na empreitada e impulsionar os seus negócios também é um fator que tem muito peso no sucesso ou não de uma Startup. Nem sempre é garantido que alguém irá comprar a ideia e ajudar a difundi-la.

Sem esse aporte, a vida de quem investe seu plano profissional em Startup fica bem mais complicada.

Além de tudo isso, há os concorrentes, que assim como em empresas “tradicionais”, do ambiente físico, podem desenvolver um serviço ou produto semelhante ao da Startup em que você apostou, e oferecer condições de negócio melhores, tomando para si a fatia de mercado pretendida.

Por fim: vale a pena tentar ou não?

Como uma experiência de vida, qualquer tentativa é válida. As Startups não fogem a esta regra. Além do mais, se você identifica em si um profissional mais arrojado, do que tradicional, não apenas deve tentar a sorte, como deve fazê-lo imediatamente.

Por mais que o ambiente de negócios do Brasil não seja nem um pouco próximo do ideal, deixar de botar em prática uma ideia que pareça boa, por receio de alguma coisa, não é a melhor das saídas.

Todos aqueles que sobem, subiram ou querem subir na vida passam por dilemas existenciais e têm em comum a proatividade de deixá-los de lado e ir em direção aos seus sonhos. Seja também uma dessas pessoas!

Se ficou alguma dúvida, deixe sua questão nos comentários, aqui embaixo. Caso tenha gostado do conteúdo, compartilhe!

Deixe sua mensagem

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *