O que é Bolsa de Estudos e como conseguir

Imagine você, que quer subir na vida e sabe que o caminho para chegar lá passa, de alguma forma, pelo estudo, tendo uma instituição de ensino apoiando-o na empreitada, arcando com parte dos custos de um curso. Pois bem, é isso que uma bolsa de estudos faz.

As bolsas de estudos são concedidas por órgãos voltados ao ensino (desde colégios até universidades) com o objetivo básico de abater parte de suas despesas com impostos, uma vez que o sistema tributário brasileiro é um dos mais complexos e, consequentemente, onerosos do mundo.

Mas também são uma oportunidade de atrair novos alunos e pesquisadores com projetos consolidados no campo científico. No primeiro caso, a vantagem à instituição de ensino é conseguir clientes que não necessariamente possuíam todo o dinheiro do valor da mensalidade para investir e tenderiam a passar batidos pela oportunidade de estudar – logo, não gastariam nada nela.

Já no segundo, a instituição atrela seu nome e reputação a um estudante cujo projeto tenha peso o suficiente para ganhar ampla relevância, promovendo o nome da universidade nos bancos acadêmicos, reconhecidamente os lugares de onde saem os principais avanços técnico-científicos e inovações que acabam adotados pela sociedade no médio e longo prazos.

O que a bolsa dá ao aluno

O aluno que faz um curso por meio de uma bolsa de estudos é chamado de bolsista. É assim que vamos nos referir a ele deste trecho do texto em diante. A bolsa dá a ele um incentivo financeiro para que estude.

Para o bolsista de uma instituição privada isso significa descontos na mensalidade, fazendo-o poupar dinheiro enquanto consolida a formação profissional que o fará pleitear posições mais elevadas no mercado de trabalho.

O bolsista de uma instituição pública, que já é gratuita, recebe um valor mensal, como se fosse um salário, para desenvolver suas pesquisas com o apoio da infraestrutura e corpo docente (professores) de lá.

Tipos de bolsa que existem

Instituições privadas

Conforme mencionado acima, existem duas modalidades ao qual um bolsista pode ser contemplado. Agora, os tipos de bolsas são variados.

Começando pelos bolsistas de instituições privadas: eles podem ter descontos de uma determinada porcentagem, que podem ter como critério o desempenho dele no vestibular (e depois nas matérias, durante o curso), sua renda mensal e a quantidade de cursos que fez ou faz naquela mesma instituição (como um programa de fidelidade).

Podem ainda ter suas mensalidades financiadas pela própria instituição de ensino, comprometendo-se a reembolsar os valores ao final de um período pré-determinado entre as partes.

Há também a possibilidade de ganhar uma bolsa integral, ou seja, não pagar um centavo sequer na mensalidade. Mas estes casos são bastante específicos: na maioria das vezes, uma instituição privada concede bolsa integral apenas a quem seja funcionário ou filho de funcionários dela.

Instituições públicas

Os bolsistas de instituições públicas conseguem o benefício ao terem bom desempenho em um concurso.

Como, neste caso, é feito um investimento pelo governo e o orçamento é limitado, a seleção dos bolsistas precisa ser a mais justa possível, portanto, é necessário ao interessado na bolsa “vencer” seus concorrentes em uma prova.

O longevo Capes é, talvez, o programa de concessão de bolsas de estudo mais bem sucedido entre instituições públicas brasileiras (Foto: Divulgação)

Existem no Brasil dois programas voltados ao oferecimento de bolsas de estudos, cada um deles com um público-alvo e finalidade específica.

O Capes, que significa Coordenação de Aperfeiçoamento de Pessoal de Nível Superior destina-se a alunos de pós-graduação interessados em desenvolver suas pesquisas tanto no Brasil, quanto no exterior.

Os programas do Capes contemplam, portanto, apenas alunos já graduados no ensino superior e que estejam especializando-se em suas áreas de conhecimento. Alunos de mestrado e doutorado também podem concorrer às bolsas da Capes.

O CNPq, que significa Conselho Nacional de Desenvolvimento Científico e Tecnológico é uma agência de fomento à pesquisa vinculada ao Ministério da Ciência, Tecnologia e Inovação.

O órgão também disponibiliza bolsas para alunos de pós-graduação e pesquisadores profissionais, mas quem está no Ensino Médio e na graduação também pode concorrer para programas disponíveis tanto no Brasil, quanto no exterior.

Bolsa-atleta

Além das bolsas já mencionadas, existe um terceiro tipo de bolsa que beneficia quem quer estudar, que é a bolsa-atleta. Elas são muito populares nos Estados Unidos, por exemplo, onde muitos só conseguem oportunidades em boas universidades se forem bons atletas.

Esse tipo de bolsa premia alunos que apresentam desempenho superior em alguma modalidade esportiva, podendo representar suas instituições de ensino em competições. Assim como nos EUA, a bolsa-atleta concedida no Brasil costuma ser de 100% do valor da mensalidade, tornando o curso gratuito ao beneficiado por ela.

Gostou? Deixe seu comentário!

As bolsas de estudo representam meio caminho andado para quem quer subir na vida por meio do próprio esforço. Uma vez conseguir uma delas é difícil e apenas os mais dedicados conseguem, essa mesma força de vontade tende a fazer a diferença no concorrido mercado de trabalho que todos temos de encarar em algum momento da vida.

Se ficou com alguma dúvida ou queira fazer alguma observação sobre o conteúdo, deixe seu comentário ao final da página!

Deixe sua mensagem

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *