Saiba a diferença de Congresso, Palestra e Workshop

Aprender algo novo, mesmo que de maneira breve e apenas por meio de trocas de ideias, é o primeiro passo para subir na vida. Ao contrário do que o senso comum pode apontar, a evolução profissional de uma pessoa depende mais da força de vontade dela, do que de cursos que tenha feito, em instituições reconhecidas.

Seguindo este raciocínio, não tem sido incomum a incidência de alternativas paralelas para o ensino e compartilhamento de conceitos. Por mais subjetivo que pareça, é possível dar um salto significativo na carreira apenas ouvindo o que outros têm a dizer.

Neste cenário, destacam-se três modalidades: os Congressos, as Palestras e os Workshops. Apesar de parecidos em suas metodologias e iguais em suas finalidades, eles guardam diferenças importantes entre si, que serão esclarecidas ao longo deste artigo. Confira!

Palestra = alguém que sabe muito de algo passando sua experiência

Sentar-se e ficar ouvindo alguém falar sobre si, sua trajetória profissional ou de vida, o que aprendeu com ela(s) e como usa isso a seu favor atualmente, pode ser uma das tarefas mais entediantes para muita gente.

Mas quem busca se aperfeiçoar continuamente, ouvir o que alguém vivenciou pode ser o pontapé inicial para levar os próprios anseios a outro patamar.

A Palestra é um evento simples, onde uma pessoa, especializada em alguma coisa (independente de ser focado na vida profissional), dedicará algumas horas do seu dia para contar sua história para uma plateia interessada naquilo.

Ela não tem um roteiro prévio e o conteúdo passado depende diretamente do que o palestrante preparou. Pode, portanto, ser passada em formato de história, em uma trama com começo, meio e fim, como pode ser organizada de maneira mais estruturada, dividida em tópicos.

O objetivo, entretanto, é um só: ensinar para os interessados nela o aprendizado que o palestrante teve com aquilo que foi o tema da palestra. Quem, por exemplo, for a uma palestra de um ex-presidente, poderá aprender como suas decisões, mesmo as mais sutis, influenciam a vida de todo um país.

Na palestra, o material exposto traz impressões empíricas das situações, ou seja, mostra os bastidores da experiência de alguém e como os fatos vividos desencadearam o aprendizado que levou aquela pessoa ao status em que se encontra naquele momento.

Em resumo, o que a palestra busca é inspirar.

Congresso = conjunto de palestras

Já ouviu falar em TED Talks? É um dos eventos mais famosos do mundo, onde pessoas especializadas em qualquer coisa falam de suas experiências para um público ávido por escutá-las.

Em um mesmo dia, diversas palestras são realizadas, cada uma com um conteúdo diferente para mostrar, mas todas sobre um mesmo tema, relacionadas às três letras que compõem o nome do evento: tecnologia, entretenimento e design. O TED Talks nada mais é, mesmo com suas características tecnológicas próprias, que um congresso.

O congresso é um evento que reúne variados palestrantes para passar suas experiências e projeções do futuro sobre um determinado assunto. Geralmente, no entanto, é composto por profissionais e pesquisadores, que estudam aquele tema e trazem do seu repertório o que é exposto.

A duração de um congresso é outro ponto de atenção. Justamente por terem como objetivo debater um panorama mais amplo do tema em questão, duram vários dias, às vezes até uma semana.

Em suma, o congresso quer nortear os próximos passos de uma categoria profissional ou nicho de mercado.

Assistir a uma palestra é considerado entediante por muita gente: mas podem ensinar muita coisa

Assistir a uma palestra é considerado entediante por muita gente: mas ensinam muito para quem sabe aproveitá-la (Foto: Pixabay)

Workshop = palestra + congresso, com cara de mini-curso

O Workshop é, dos três modelos de ensinar algo para alguém que estamos explicando, o que mais se aproxima de um curso de fato, que visa fazer o participante sair dele com um aprendizado prático para sua vida. Profissional, no caso.

É uma mistura de palestra, com congresso, mas que mais parece um curso de curta duração, onde botar a mão na massa e mostrar que entendeu o que foi passado é obrigatório.

Nele, um grupo de profissionais irá palestrar, falando de suas experiências e lições tiradas do período, trazendo também conteúdos de seu dia a dia de trabalho, ou seja, conteúdos objetivos e específicos, para que no final os presentes mostrem uma “lição de casa” sobre tudo aquilo que foi exposto.

O objetivo do workshop também é aproximar profissionais de profissionais, o famoso “networking”, uma vez que nele é ensinado algo muito exclusivo, focado em uma área intrínseca àquilo que é ensinado.

Basicamente, o workshop quer ensinar, de fato, algo novo (ou atualizado) para profissionais que já trabalham com aquilo diariamente e querem expandir seus conhecimentos.

Dúvidas? Pergunte!

O que mais agrada palestrantes, sejam individuais, de congressos ou workshops, é quando o público faz uma pergunta. Isso mostra, além de interesse no tema, que aquele período de troca de experiências fez alguém sair de sua zona de conforto, questionando algum dos pontos passados.

Nós, do Suba na Vida, apesar de não sermos propriamente palestrantes, somos iguais: queremos esclarecer os conteúdos que escrevemos, mas, ao mesmo tempo, sentimos que estamos no caminho certo quando fazemos você levantar outra questão.

Parece confuso, mas logo tudo se resolve: e aí, ficou alguma dúvida do texto? Pergunte nos comentários!

Deixe sua mensagem

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *