5 vantagens de passar em concurso público

Ser funcionário público não é, definitivamente, o sonho da maioria das pessoas que pensam em construir uma carreira sólida e de sucesso. Entretanto, também não é, nem de longe, uma possibilidade a ser completamente descartada.

Afinal, aquele que passa em um concurso público e passa a trabalhar para um órgão municipal, estadual ou federal, além de estar contribuindo diretamente para o desenvolvimento do país, ostenta condições mais vantajosas no geral, em comparação a empregos oferecidos pela iniciativa privada.

O difícil, porém, é conseguir passar na prova, muito concorrida, dependendo do caso. Ser nomeado na função e começar as atividades também pode ser um martírio, já que nem sempre os aprovados têm as vagas ao seu dispor imediatamente.

A despeito disso, pode ser que se tornar um concursado seja sua opção para subir na vida em um futuro próximo. Confira 5 vantagens!

1. Estabilidade financeira

Não há emprego que garanta mais estabilidade financeira do que o do funcionário público. Além de ganhar bem (até mesmo cargos de posição menor na hierarquia dão um bom salário), o concursado sabe que, após ao menos três anos de trabalho, a única forma de ele diminuir esses ganhos é se for exonerado.

Outra garantia de estabilidade financeira que o concursado tem se dá pelo tempo de serviço dedicado ao órgão pelo qual trabalha, recebendo uma porcentagem extra de salário quando acumula um determinado número de anos no mesmo local.

Ainda há a possibilidade de fazer carreira na instituição pública e ir ascendendo de cargo (e salário) à medida em que se qualifica por meio de estudos (graduação, pós-graduação e afins) ou evolui por uma necessidade ocasional do órgão.

2. Segurança profissional

Conforme dito acima, uma vez aprovado em um concurso e tendo completado pelo menos três anos de trabalho, o funcionário público só fica desempregado se cometer uma falha grave e for exonerado – algo que raramente acontece.

Com isso, o concursado tem a segurança necessária para executar seus projetos de vida e carreira também, uma vez que pode até pedir licença do cargo para fazer cursos de aperfeiçoamento e especialização, ou resolver algum problema pessoal mais sério, caso necessário.

3. Bons benefícios

Como se fosse pouco ter estabilidade, principalmente financeira, e segurança profissional, o concursado também conta com uma série de benefícios interessantes por ser funcionário público.

E se acha que estamos falando de vale-transporte e vale-refeição, saiba que o negócio vai muito além – apesar de estes também entrarem na conta.

Dependendo do cargo ocupado, o concursado tem direito a mais ou menos benefícios, mas o 13º e o adicional noturno são praticamente universais. Ainda existe adicional por exercício de atividades perigosas ou penosas, voltadas especialmente para quem sofrer algum tipo de risco ao exercer sua função.

Tudo isso significa nada mais, nada menos, que dinheiro a mais na conta corrente e a caminhada firme rumo ao sossego financeiro eterno.

Trabalhar 25% menos do que a maioria das pessoas e ganhar muito mais: realidade de muitos concursados no Brasil Foto: FreeImages.com

Trabalhar 25% menos do que a maioria das pessoas e ganhar muito mais: realidade de muitos concursados no Brasil Foto: FreeImages.com

4. Menor carga horária de trabalho

Um trabalhador comum, empregado em um lugar que respeita as cláusulas de um contrato, irá trabalhar, invariavelmente, 40 horas por semana, sendo oito delas em cinco dias (úteis, geralmente).

O funcionário público tem jornada 25% menor, com 30 horas de trabalho semanais, divididas em seis horas por dia (útil também). Caso precise fazer mais do que isso, recebe hora extra. Caso precise viajar a trabalho, recebe mais por isso.

Para quem acha fundamental aliar qualidade de vida com carreira profissional, não há cenário melhor do que este.

5. Aposentadoria

Se para o cidadão dito comum, funcionário da iniciativa privada, se aposentar significa ver seus ganhos caírem drasticamente da noite, para o dia, no mundo do funcionário público isso simplesmente não existe.

O cidadão que fez sua carreira no funcionalismo público, quando se aposenta, recebe o último salário de sua vida de forma integral, desde que tenha sido aprovado em um concurso antes de fevereiro de 2013, quando essa lei mudou.

Estes, enquadrados na nova legislação, receberão de aposentadoria apenas o que escolheram contribuir ao longo de sua carreira. Portanto, se o funcionário público decidiu onerar X de seus rendimentos para a aposentadoria, receberá esse X quando se aposentar. Já se foi mais generoso e optou por contribuir com 2X, vai receber estes 2X, e assim por diante.

Outro lado bom é a possibilidade de acumular rendas, caso passe em outro concurso, já depois de aposentado. Sim, é possível um ex-funcionário público, aposentado, ser novamente funcionário público e receber, mensalmente, a aposentadoria e o salário do novo cargo ocupado.

Dúvidas? Pergunte!

Por mais que o Brasil gaste demais com o funcionalismo público e, de certa forma, freie a evolução de setores situados fora deste circuito, a existência dele é uma saída para quem não é absorvido pelo mercado, muitas vezes pouco justo e meritocrático.

O principal, acima de tudo, é que você queira evoluir na vida pela vontade de produzir mais e gerar mais riqueza para si e para o ambiente ao seu redor, independente de seguir a carreira pública ou privada.

Caso tenha ficado alguma dúvida, escreva nos comentários, no fim da página, e nos ajude a ajudar mais gente!

Até a próxima!

Deixe sua mensagem

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *