6 maneiras de trabalhar na Internet

Se você é usuário assíduo da Internet já deve ter visto muito anúncio querendo ensinar como ganhar dinheiro online. Nem precisamos perguntar para saber que ficou seduzido em seguir à risca as dicas desses gurus. Esqueça isso tudo, pois milagres não existem. Não que não seja possível ganhar dinheiro na Internet, mas a única maneira de acontecer é trabalhando. O dinheiro será mera consequência do seu esforço.

O que fazemos aqui no Suba na Vida, aliás, é exatamente isso: estamos trabalhando na Internet para ajudar você a encontrar respostas ou tirar dúvidas sobre as mais variadas maneiras de ascender social e profissionalmente por meio do trabalho.

Assim sendo, uma das maneiras de trabalhar na Internet é esta: criando um site e alimentando-o com conteúdo suficientemente bom para que as pessoas queiram ler e os anunciantes saibam que nos dedicamos arduamente para termos a audiência que temos, e merecemos ser apoiados financeiramente por isso, em troca de expormos suas marcas em banners.

Mas não é sobre nós que vamos falar neste texto. Apesar de termos dado uma colher de chá e, ao invés de seis maneiras de como trabalhar na Internet, apresentarmos uma a mais, segue o que interessa abaixo.

Criar um e-commerce

Um e-commerce é um comércio virtual, uma loja localizada no ambiente digital, acessada via Internet. Para montá-la basta um web designer para criar o site, um redator para descrever os produtos e fazer propaganda deles e só. Será?

Por mais que esteja hospedada em um servidor, que nada mais é que um ambiente com muito espaço de armazenamento para dados, você precisa ter os produtos que vende para entregar aos seus clientes, então vai ter de organizar a parte logística da sua loja fora do ambiente virtual. Pode ser preciso um galpão (grande, médio, pequeno, você que deve saber) para estocar os produtos e uma estrutura para envia-los aos compradores.

Detalhe: há também como ter um e-commerce hospedado em um site que não seja seu, os chamados marketplaces. O conceito é igual ao do shopping center, mas virtual.

Os marketplaces reúnem lojas de diferentes usuários e funcionam como o meio comum onde clientes e vendedores “se encontram” para fazer negócio. O Mercado Livre é um bom exemplo disso.

Monitorar redes sociais

Outra caçula do mercado de trabalho, o monitoramento de redes sociais consiste em pesquisar e estruturar dados gerados pelos usuários nas redes sociais (Facebook, Twitter, Instagram, entre outras).

Com essas informações os profissionais, também em sua maioria especializados em marketing digital, conseguem entender o comportamento dos clientes das empresas e afinar o modo como elas se relacionam com seus públicos de interesse.

Profissões ainda pouco difundidas e outras que ainda sequer existem hoje pavimentam o caminho de quem trabalha na Internet (Foto: Pixabay)

Atender ao público via redes sociais

Se você comprou um chocolate, percebe que ele estava estragado e decide reclamar muito no Twitter, saiba que há um profissional do outro lado da tela para interagir contigo por meio da marca e resolver a situação.

Essa atividade também é bastante nova e ainda ligeiramente restrita a um nicho específico de profissionais (geralmente de marketing digital), mas tem cada vez mais tido um papel estratégico na comunicação das empresas com o público.

 

Testar sites e aplicativos

Antes de um site ir para o ar, dependendo do tamanho e funcionalidades dele, alguém terá de testar tudo isso, para garantir que está nos conformes. A mesma coisa vale para um aplicativo: as versões que conseguimos baixar em nossos celulares, na maioria esmagadora das vezes, já foram testadas por alguém e aprovadas.

Para trabalhar com isso, no entanto, é preciso ter conhecimentos sólidos em linguagem de programação para sites e aplicativos, mas é uma maneira interessante de se trabalhar na Internet.

Responder à pesquisas

Pode parecer loucura imaginar que existe alguém que ganhe a vida respondendo à pesquisas pela Internet, mas isso existe. Não que os ganhos sejam expressivos, mas há muita gente trabalhando na Internet apenas respondendo a questionários.

Em boa parte das vezes este trabalho está atrelado ao tópico anterior, em outros a lógica é semelhante, mas voltada a produtos e serviços que podem vir a ser lançados e em outros a sondagem busca entender a percepção do público sobre coisas já à disposição das pessoas.

Moderar fóruns de debate

No jargão daqueles que trabalham com isso, o nome da tarefa é “Community Manager” ou “Líder de Comunidade”, mas a grosso modo o que faz este profissional é ser o moderador, o sujeito que estimula debates em fóruns Internet afora e cuida para que as discussões mantenham-se aderentes aos temas propostos – principalmente com educação.

A atividade é pouco difundida, mas é fundamental para aproximar as instituições das pessoas, ainda mais no ambiente virtual, onde múltiplas vozes ocupam o mesmo espaço limitado e disputam a atenção – cada vez mais escassa.

 

 

Gostou? Tem outras ideias e sugestões? Comente!

A Internet é ainda muito virgem no que diz respeito às possibilidades profissionais e comerciais para quem enxerga nela uma forma de trabalhar.

Por isso contamos com você para nos indicar alguma maneira que não tenhamos colocado ou tirar dúvidas sobre as que foram expostas. A caixa de comentários é sua!

Deixe sua mensagem

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *