Treinar um idioma e ainda ganhar dinheiro: conheça o Tradutor freelancer!

Ser fluente em um segundo idioma é o anseio de dez, entre dez brasileiros que buscam subir na vida. Além de oferecer a oportunidade de se comunicar com qualquer pessoa do mundo, saber outra língua faz com que as chances de empregos aumentem consideravelmente.

Independente da profissão ou atividade a que se dedica um trabalhador, se ele souber muito bem outro idioma além do português (que, convenhamos, é básico), será cotado para cargos mais importantes (e que pagam melhor, claro) e até para atribuições paralelas, expandindo o horizonte de atuação para o universo dos freelancers.

Os freelancers são os profissionais especializados em alguma atividade e que trabalham por conta própria, podendo assumir quantos projetos quiser, de acordo com as suas necessidades ou anseios.

No caso daqueles que têm um conhecimento aprofundado de um idioma diferente do nosso, a lacuna que se abre é variada, mas a mais comum e difundida é a de tradutor.

Basicamente, o tradutor traduz textos de um idioma para o outro, mas há outro detalhe: é necessário adaptar as linguagens inerentes à língua em questão. Sim, leitor, é fundamental: transformar uma frase em português, em uma frase em inglês, exige não apenas traduzir as palavras, mas também, contextualizá-las segundo as regras gramaticais de cada idioma.

Confira a seguir outros pontos importantes e possibilidades de trabalho que um tradutor freelancer pode assumir!

O tradutor tem que ter tempo disponível

Traduzir um texto e adaptá-lo às regras gramaticais do idioma em questão é um trabalho detalhado, de formiguinha mesmo. Por isso, não adianta pensar que será rápido o processo, uma vez que, dependendo da língua (inglês, por exemplo), sequer as palavras terão tradução literal.

Isso força o tradutor a buscar sinônimos, o que também não é tão simples. Expressões como “saudade” não possuem palavra correlata no inglês. “Miss”, por mais que possa ter proximidade com o sentido de “saudade”, não basta. Assim sendo, “miss you” (saudade de você), tende a ser o mais adequado.

Demos um exemplo simples, mas chegar nele nem sempre demanda apenas alguns segundos de raciocínio. Assim sendo, quem quer trabalhar como tradutor freelancer precisa, de qualquer maneira, de tempo de sobra para cumprir seus projetos (e pensar, e pensar, e pensar…).
O tradutor tem que ler muito (muito mesmo)

Há uma regra básica e de ouro para quem trabalha com redação de textos: quanto mais se lê, melhor se escreve. E quanto mais se escreve, mais se lê. Uma vez que a tradução é de textos, logo o tradutor é também um redator, portanto, essa máxima vale para ele.

Entretanto, há uma diferença primordial: além de ler muitos textos do próprio idioma, é necessário ler também textos em inglês, espanhol, alemão, francês, japonês, enfim, a língua em que o tradutor é especializado.

Essa prática, além de ajudar o tradutor agilizar seu trabalho, o fornece repertório em suas traduções. Afinal, há palavras que são mais recorrentes do que outras e ninguém já trombou com todas as existentes no mundo, seja do idioma que for.

O tradutor pode traduzir de tudo (tudo mesmo)

Quem decide ser tradutor freelancer precisa estar preparado para tudo. E isso não é força de expressão (mas também não é para se assustar). Assim como o redator de textos, o tradutor nem sempre pegará trabalhos que lhe agradam e muito menos que possa ter certa facilidade.

Desde notícias, até textos técnicos complexos e cheios de termos extremamente específicos, pode pintar de tudo, um pouco, na vida de um tradutor freelancer. E os prazos seguem a mesma toada: haverá do mais curto ao mais longo.

Ser flexível, portanto, é praticamente um pré-requisito para ingressar na vida de tradutor freelancer. Evidentemente, não ter preconceitos é mandatório também, já que independente do nível técnico do profissional, ele pode ser solicitado para traduzir conteúdos que não gosta, não concorda ou simplesmente não quer – mas não poderá negar.

Inclusive, é válido ressaltar novamente que no universo freelancer, pelo menos no começo da carreira, a possibilidade de negar trabalhos está absolutamente descartada (a não ser que você tenha o incomum hábito de jogar dinheiro fora).

A própria palavra "tradução" tem diversas traduções ao redor do mundo: encontrar todas é demorado e trabalhoso

A própria palavra “tradução” tem diversas traduções ao redor do mundo: encontrar todas é demorado e trabalhoso (Foto: Pixabay)

O tradutor pode traduzir todo e qualquer idioma

Não pense que por ser o inglês a chamada “língua universal” e tender a ser o idioma que demande mais trabalho de um tradutor freelancer, que ela será a única.

Na verdade, quanto mais vasto o repertório de idiomas conhecidos por um tradutor, mais ele fatura. Inclusive, se forem línguas pouco faladas ao redor do mundo (russo, por exemplo), maior deve ser o valor cobrado pelo serviço.

Isso porque, justamente pelo fato de ser um idioma menos popular, mais difícil será encontrar referências para contextualizar o conteúdo e até encontrar a tradução literal das palavras.

Línguas orientais como o mandarim (chinês), japonês e aramaico (árabe) também tendem a ser minas de ouro para um tradutor freelancer. Além de menos usuais no ocidente (onde fica o Brasil, Estados Unidos e boa parte dos países europeus), exigem um modo diferente de leitura e interpretação do conteúdo.

Nas línguas orientais citadas, o texto é escrito por meio de ideogramas, que podem representar até mais que uma simples palavra, mas sim, uma ação, contexto ou até ter um significado subjetivo, como uma ideia.

Quanto um tradutor freelancer pode ganhar por mês

Não há uma resposta exata para essa questão, mas é certo que o faturamento mensal de um tradutor freelancer bastante ativo, ou seja, reconhecido pelo mercado e que, por isso, consegue vários projetos, tende a ser o suficiente para o profissional viver apenas disso, sem a necessidade de um trabalho fixo em uma empresa.

Conforme pontuamos ao longo de todo o artigo, o trabalho do tradutor freelancer exige conhecimentos, técnicas e até aptidões comportamentais pouco comuns no mercado de trabalho e que o tornam um profissional especial, requisitado.

Comumente há duas formas de qualquer profissional freelancer cobrar pelos seus serviços: por quantidade de produtos que irá criar (no caso do tradutor, por exemplo, quantas páginas ou palavras irá traduzir) e por tempo (uma projeção, claro).

Em qualquer uma das duas situações, é justo que se cobre um valor elevado, já que poucos conseguem traduzir algo do português para qualquer outra língua, e vice-versa, com qualidade e sem utilizar softwares ou aplicativos que traduzem as palavras apenas literalmente (o que é pouco eficiente, como também já ressaltamos).

Além disso, poucos são os profissionais que irão entregar o trabalho no prazo definido pelo cliente, bem como em tempo suficientemente hábil para fazer possíveis correções ou mudanças estruturais, que se alinhem mais perfeitamente ao que espera o contratante.

Dentre todas as possibilidades de um profissional atuar como freelancer, pelo menos por meio de textos, ser tradutor é a melhor.

Dúvidas? Pergunte!

Se você chegou até aqui, é porque realmente tem a intenção de se tornar um tradutor freelancer – e isso é louvável. Porém, sem ter um bom conhecimento do seu próprio idioma, dificilmente terá sucesso, para início de conversa.

Se esforce ao máximo para entender cada vez melhor de cada detalhe da nossa língua portuguesa, que é reconhecidamente uma das mais complexas do mundo. Só depois se foque em aprender outro idioma e fazer dessa expertise o seu ganha-pão.

Trabalhar como freelancer exige do profissional uma dedicação dobrada e constante, portanto, estar sempre na melhor das condições técnicas é uma premissa básica.

Caso tenha ficado qualquer dúvida sobre o conteúdo ou tenha alguma observação a fazer, aproveite os comentários no fim da página!

Deixe sua mensagem

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *