O que significa co-working

Você se lembra dos seus tempos de escola, quando as carteiras da sua sala de aula eram compostas por mesa e cadeira soltas, e organizadas umas ao lado das outras, fazendo com que a sua carteira e a do seu colega ao lado formassem uma única grande mesa, dividida? Então, você não sabia, mas estava, ali, exercendo o co-working.

Traduzindo literalmente o termo, ele quer dizer “co-trabalho”. Entretanto, não se apegue à essa definição em si, porque o buraco é mais embaixo.

Na verdade, o co-working nada mais é que a divisão, por várias empresas ou trabalhadores autônomos, do mesmo espaço de trabalho. Não tem a ver com as pessoas dividirem a mesma tarefa, mas sim e somente, com a divisão de lugares para cada um deles executar as suas próprias.

Onde exatamente posso encontrar um lugar desses

Uma cafeteria com um conceito mais moderno, que oferece wi-fi grátis, pode já ser considerada um espaço de co-working. Mas a coisa vai muito além.

Na verdade, o espaço de co-working não apenas possibilita às pessoas compartilharem da mesma estrutura física para trabalharem, mas também de seus conhecimentos e especialidades.

Um engenheiro desenvolvedor de softwares, por exemplo, que criou um novo produto e não sabe direito como “empacotar” isso e vender ao mercado, pode dividir um espaço de co-working com um administrador de empresas, especializado em criar planos de negócios.

Eles podem também ter de divulgar o produto e precisarem de um publicitário para criar uma campanha e um relações-públicas ou jornalista para divulgá-la na imprensa e redes sociais.

Estes quatro profissionais, juntos, não necessariamente formam uma empresa. Todos eles podem ser autônomos que, naquele momento, uniram suas especialidades para elaborar e executar um projeto.

Portanto, o co-working é mais do que ter um espaço para todos usufruírem da infraestrutura: ele é, em si, a infraestrutura. Ao menos humana.

Assim sendo, a cafeteria pode ser um espaço de co-working, tanto quanto o hall de entrada de um hotel e um galpão vazio de uma empresa, desde que hajam profissionais precisando daquele espaço para se fixarem e desenvolverem um projeto.

Exemplos mais comuns

De fato, qualquer espaço vazio onde profissionais se juntem para executar um projeto pode ser um espaço de co-working, mas existem exemplos mais comuns – até pelo bom senso.

Podemos encontrar essa equipe descrita no tópico acima em uma cafeteria, trabalhando tranquilamente, mas em algum momento essa ocupação de mesas irá afastar potenciais clientes, que não terão onde se sentar, tendendo a procurar outro estabelecimento.

Isso será ruim para o dono deste lugar e, de tabela, ruim para os profissionais, que correrão o risco de serem expulsos de lá e terem de encontrar outro lugar.

Por essas e outras os espaços de co-working são mais comumente encontrados em mansões adaptadas para isso ou incubadoras de universidades, que emprestam espaços ociosos seus para a prática.

O mais legal disso tudo, ainda por cima, é encontrar empresas inteiras alocadas nesses espaços de co-working, sendo vizinhos de porta de um grupo de profissionais que se juntaram ocasionalmente (como no nosso exemplo), que por sua vez dividem uma mesma sala com outra micro-empresa, de uma área completamente diferente.

Dividir a mesa de trabalho é apenas um dos aspectos do co-working Foto: Pixabay

Dividir a mesa de trabalho é apenas um dos aspectos do co-working                                                 Foto: Pixabay

Vantagens

Além dessa diversidade de profissionais em um mesmo lugar, os espaços de co-working permitem que se trabalhe em qualquer espacinho que esteja disponível. Qualquer mesmo.

Desde uma mesinha no meio de um quintal florido, até um sofá, no canto de uma sala, podem ser considerados uma “mesa” de trabalho.

Também há a possibilidade de conviver com pessoas de diferentes culturas e nacionalidades e ter, no mesmo dia, a sensação de ter estado em vários países e contextos distintos.

Isso sem contar a oportunidade de ouro de praticar a conversação em outros idiomas, o que acaba sendo útil para qualquer profissional, pensando em longo prazo.

Desvantagens

Para aqueles que prezam pela privacidade, trabalhar em um espaço de co-working não é nada bom. Mesmo que se alugue uma sala exclusiva, invariavelmente o contato com outras pessoas acontecerá, já que todos estarão em um mesmo grande lugar.

Também não é uma boa pedida trabalhar no esquema de co-working aqueles que preferem ser parte de grandes empresas e ocuparem posições que dependem mais de outros membros, em uma grande equipe, em detrimento de fazer a própria rotina e tomar as decisões que forem mais convenientes, quando forem.

Em suma, profissionais mais tradicionais e conservadores não teriam vida fácil em um espaço de co-working. Se você é assim, é melhor evitar.

Dúvidas? Pergunte!

O conceito (e consequente prática) do co-working é algo muito recente no universo corporativo e não muito difundido, o que, certamente, ocasiona muitos questionamentos.

Caso você tenha algum para fazer, não perca a oportunidade e utilize os comentários, logo ao fim da página, para isso.

O Suba na Vida nasceu e existe para te ajudar. Qualquer semelhança com o co-working não é mera coincidência!

Deixe sua mensagem

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *